Pesquisar
Close this search box.

Golpes em e-commerce: Dicas para proteger seu negócio

Sobre o que estamos falando?

Compartilhe:

O comércio eletrônico é, sem dúvida, uma peça chave na economia global.

No entanto, essa conveniência para empresas e consumidores também atrai pessoas com intenções maliciosas, que buscam explorar falhas de segurança para ganhos financeiros ilícitos. Por isso, proteger-se contra fraudes no e-commerce é essencial.

Para dar uma noção da gravidade do problema, o Mapa da Fraude, da ClearSale, apontou que, em 2023, o e-commerce brasileiro poderia ter sofrido tentativas de fraude que totalizariam R$ 3,7 bilhões.

No primeiro trimestre de 2024, houve uma redução de 23,3% nas tentativas de fraude em comparação ao mesmo período do ano anterior, de acordo com dados da ClearSale. Contudo, é fundamental permanecermos atentos e adotar medidas de segurança para proteger nossos negócios.

Com o objetivo de ajudar você lojista, preparamos este artigo. Nele, vamos explicar como funcionam os principais golpes no e-commerce e oferecer dicas para proteger seu negócio contra fraudes. Vamos lá?

Golpes no e-commerce: O que são?

Uma fraude é uma ação ilegal cujo objetivo é obter ganhos financeiros de forma desonesta. Em outras palavras, o fraudador engana a plataforma para adquirir produtos, serviços ou dinheiro sem a intenção de cumprir as obrigações legítimas da transação.

Por exemplo, quando uma pessoa mal-intencionada faz compras em uma loja virtual usando um cartão de crédito roubado, a empresa sofre prejuízos.

O pagamento é inicialmente aprovado, o fraudador recebe o produto e, posteriormente, a operadora de cartão reembolsa o valor ao legítimo dono do cartão devido à fraude. Isso significa que a empresa acaba sem o produto e também sem o dinheiro da venda. 

Principais tipos de fraudes no e-commerce

Fraude Clássica: Nessa fraude, os criminosos obtêm dados de cartões de crédito, frequentemente adquiridos na deep web, e os utilizam para fazer compras. Para dificultar o rastreamento, eles fornecem endereços de transportadoras para a entrega e utilizam proxies para ocultar o IP.

Invasão de Conta: Os criminosos acessam contas legítimas de clientes de e-commerce por meio de promoções fraudulentas que capturam login e senha ou através do roubo de celulares com informações salvas. Uma vez dentro da conta, eles alteram o endereço de entrega e realizam compras em nome da vítima.

Fraude por Má-Fé: Imagine um cliente que parece totalmente confiável e realiza compras no seu e-commerce. Ele escolhe um ou mais produtos, fornece um endereço de entrega válido e efetua o pagamento sem problemas.

No entanto, após a entrega, esse cliente entra em contato com a empresa afirmando que não recebeu o produto, apesar de ter recebido.

Sem evidências claras para comprovar a entrega, o e-commerce se vê obrigado a reembolsar o valor ou enviar um novo item. Em outras palavras, um cliente aparentemente honesto utiliza de má-fé para enganar o e-commerce.

Além disso, esse cliente pode contactar a operadora do cartão de crédito para contestar a compra, alegando fraude. Em qualquer situação, o e-commerce acaba perdendo a mercadoria e o valor da venda.

Teste de Cartão: Criminosos obtêm diversos números de cartões e realizam pequenas compras para verificar quais estão funcionando. Automatizando o processo com bots, eles identificam os cartões válidos e, em seguida, realizam grandes compras ou vendem as informações para terceiros.

Roubo de Identidade: Os fraudadores roubam informações pessoais, como nome completo, CPF, nome da mãe e endereço, e utilizam esses dados para solicitar cartões de crédito ou empréstimos em instituições financeiras. Com um cartão digital em mãos, realizam compras no e-commerce e também podem usar essas informações para outras fraudes.

Interceptação de entrega:
Os criminosos roubam um cartão de crédito, fazem compras e desviam a rota do item durante a entrega. Na página do e-commerce, o pedido aparece em nome de um cliente real, com dados verdadeiros e o endereço vinculado ao cartão. Muitas vezes, o consumidor nem está ciente da transação. Após a compra, os golpistas podem alterar o endereço de entrega para um ponto de retirada ou interceptar a entrega no endereço original.

Dicas para proteger o seu e-commerce de golpes

Utilize certificados SSL e proteja seu domínio: Os certificados SSL (Secure Socket Layer) garantem que todas as informações transmitidas entre o servidor do seu e-commerce e os navegadores dos clientes sejam criptografadas. Além disso, proteja seu domínio contra ataques de DNS (Domain Name System) e registre variações do seu domínio para prevenir que criminosos criem sites falsos que se passam pelo seu e-commerce.

Treine sua equipe de atendimento: Uma equipe de atendimento bem treinada é essencial para detectar e prevenir fraudes. Capacite seus colaboradores para reconhecer pedidos suspeitos e seguir protocolos de segurança, como não permitir alterações no endereço de entrega após a compra. Isso é fundamental para garantir a segurança e a confiança dos clientes em suas operações comerciais.

Utilize um sistema Antifraude: Eles utilizam tecnologias como inteligência artificial e aprendizado de máquina para detectar e prevenir atividades fraudulentas. Eles analisam padrões de comportamento, dispositivos usados e endereços de IP para identificar possíveis fraudes! Consulte com seu meio de pagamento a utilização desse método de segurança

Avalie a Reputação dos Parceiros: Fraudes podem ocorrer devido à má conduta de parceiros. Por isso, é crucial investigar a reputação deles, inclusive em sites como o Reclame AQUI, para assegurar que operem legalmente e ofereçam um serviço de qualidade. Por exemplo, uma transportadora que entrega mercadorias a qualquer pessoa na rua, sem exigir documentação, pode ser problemática para sua empresa. A mesma lógica se aplica a outros parceiros, como soluções de pagamento, ferramentas de automação de marketing e atendimento.

Monitore o Ticket Médio: O ticket médio representa o valor médio de cada compra realizada em sua loja virtual. Por exemplo, se sua loja de roupas tem um ticket médio de R$ 350, uma transação de R$ 6.000 deve ser investigada, pois é um comportamento atípico para o perfil de seus clientes. Utilize ferramentas de análise para monitorar o comportamento de compra dos consumidores e identificar transações fora do comum.

Conte com com soluções especializadas: No iPag oferecemos tecnologias de ponta para proteger seu e-commerce!

O protocolo 3DS, por exemplo, requer que o comprador autentique sua identidade com o banco emissor do cartão, reduzindo drasticamente o risco de fraudes por cartões roubados ou clonados.

Além disso, nossos sistemas antifraude utilizam inteligência artificial e aprendizado de máquina para detectar e prevenir atividades fraudulentas de maneira altamente eficaz.

Entre em contato com nossos especialistas para descobrir como podemos fortalecer a segurança das suas transações hoje mesmo e garantir o crescimento seguro do seu negócio!

Conheça nossas redes sociais

Inscreva-se e aprenda como simplificar a forma de receber pagamentos
Você também vai gostar:

Inscreva-se

Cadastre-se para receber os melhores conteúdos.

Gostou do que viu por aqui?

Cadastre-se para receber os melhores conteúdos.